Image Alt

Obesidade

Obesidade é uma condição em que ocorre um excesso de gordura corporal, geralmente representado pelo aumento de peso. Sua prevalência vem aumentando de maneira assustadora devido ao estilo de vida moderno, em que se procura mais praticidade no consumo de alimentos industrializados, e gasto calórico cada vez menor pelo uso do carro, elevadores, controle remoto, entre outros.

O excesso de peso é resultado de um consumo de calorias maior que as calorias gastas, mas também está relacionado à genética, e também pode ter outras doenças associadas, como o hipotireoidismo ou o uso crônico de corticóides. Existem basicamente dois tipos de obesidade: a do “tipo pêra”, em que há maior acúmulo de gordura nos quadris, e a do “tipo maçã”, em que há maior acúmulo de gordura na
região abdominal, também chamada gordura visceral, que é a mais perigosa para a saúde. Podemos classificar o peso do paciente através do Índice de massa corpórea, ou IMC, calculado pela relação entre peso e altura ao quadrado. O normal é este índice se encontrar entre 18 e 25, sendo entre 25 e 30, considerado sobrepeso, e acima de 30, obesidade (acima de 40, obesidade mórbida).

A obesidade pode predispor a várias outras doenças, como hipertensão arterial, diabetes mellitus, aumento do colesterol e triglicerídeos no sangue, pedra na vesícula, varizes e trombose venosa, infarto cardíaco e derrame cerebral, artrose de joelho e quadris, esporão do calcâneo, hérnia de disco, roncos noturnos e até alguns tipos de câncer.

O principal tratamento é a reeducação alimentar associada a exercícios físicos regulares. A alimentação deve ser a mais natural possível, evitando-se o uso de produtos industrializados, mais calóricos e ricos em farinha e açúcar refinados, gordura trans e saturadas. Os alimentos devem ser integrais, ricos em fibras e proteínas, mais gordura saudável.

As “dietas da moda” não resolvem o problema em longo prazo e podem causar sérias deficiências nutricionais. Exercício físico vale o aumento do gasto nas atividades do dia-a- dia, usando menos o carro, mais bicicleta ou caminhar, subir escadas ao invés de elevador, mas deve-se também incluir uma atividade física programada, regular, aeróbica e também resistida.

Tais hábitos devem ser mantidos pelo resto da vida. Dependendo do caso, pode ser necessário o uso de medicamentos, porém estes devem ser empregados apenas sob rigorosa supervisão médica. Devemos ressaltar que as tão populares “fórmulas para emagrecer” são na verdade, um grande risco para a saúde de quem as consome, pois contêm substâncias que podem ser bastante prejudiciais à saúde. Além disso, as “fórmulas” vêm se transformando paradoxalmente numa das principais causas de obesidade
por provocarem o chamado “efeito sanfona”: o pacienta engorda ainda mais após a interrupção do tratamento.

Uma alternativa para obesos mórbidos e com comorbidades causados pela obesidade é a cirurgia bariátrica. Nenhum tratamento por cirurgia plástica, como a lipoaspiração, é eficaz, pois não há redução da gordura visceral, diretamente relacionada às doenças associadas à obesidade. Os efeitos, nestes casos, são apenas estéticos (diminuição de gordura localizada).

Lembrar que prevenir a obesidade é mais fácil que tratar, por isso hábitos saudáveis devem ser instituídos desde a infância, independente do peso, e serem mantidos pelo resto da vida. Cuidado ao procurar médicos “milagrosos”, na grande maioria das vezes há um prejuízo para a saúde do paciente. Procure apenas médicos especialistas, na dúvida pesquise no site da Sociedade Brasileira de Endocrinologia (www.sbem.org.br).

Sobre a clínica

Referência no sul de Santa Catarina, a Clínica Sara Ribeiro é especializada na assistência da saúde da mulher, bem como em distúrbios endocrinológicos.

(48) 3437 5543

Marque sua consulta!

Entre em contato para maiores informações e consultas.