Image Alt

Neuromodulação Sacral

Também conhecida como “marcapasso sacral”, esta terapia é indicada para os casos de Urgência Urinária e Urgeincontinência que não tiveram resposta adequada a outros tratamentos. Também é indicada nos casos de retenção urinária sem fator obstrutivo e incontinência fecal; pode ser utilizada como tratamento alternativo em doenças que causem dor pélvica crônica como Endometriose e Síndrome da Bexiga Dolorosa (“cistite intersticial”).

O tratamento consiste em implantar um eletrodo através de uma punção percutânea (através da pele) ao lado da raiz nervosa sacral de S3. Este eletrodo conectado a um gerador de pulso tem como objetivo modular a interação entre esfíncter uretral, musculatura pélvica e bexiga.

A seleção dos pacientes para o implante do dispositivo deve ser feita de forma criteriosa em busca de melhores resultados. O tratamento possui duas fases: a primeira é uma fase de teste que dura entre 7 e 14 dias. Nesta fase um gerador de pulso externo é conectado ao eletrodo e a resposta de cada paciente é avaliada detalhadamente. Nos pacientes em que se obtém melhora nos sintomas em percentual maior que 50% há indicação para prosseguir à segunda fase. Nesta segunda etapa implanta-se no tecido subcutâneo, de uma das nádegas, um gerador de pulso interno.

Ressalta-se que em caso de resposta inadequada na primeira fase (teste) o tratamento deve ser interrompido.

Mundialmente cresce cada vez mais o número de pacientes submetidos a este tratamento (cerca de 75.000 pessoas), entretanto, no Brasil esta terapia ainda é pouco difundida em razão do elevado custo do material e pelo fato de poucos médicos serem habilitados a realizar o procedimento.

Em média 60% dos pacientes que iniciam o tratamento avançam para a segunda fase. A taxa de sucesso varia entre 60 e 90% nos pacientes que foram submetidos ao implante do gerador definitivo. O procedimento é considerado minimamente invasivo, possui segurança e eficácia comprovadas e mantém
sua taxa de sucesso ao longo do tempo. O gerador de pulso interno tem meia vida entre 5 e 8 anos e deve ser trocado após este período.

A internação, normalmente, dura um dia e no momento da alta o dispositivo já pode ser acionado.

Este procedimento é regulamentado e autorizado pela ANVISA e possui eficácia de aproximadamente 80%; somente é indicado para casos que não respondem a tratamentos convencionais.

Sobre a clínica

Referência no sul de Santa Catarina, a Clínica Sara Ribeiro é especializada na assistência da saúde da mulher, bem como em distúrbios endocrinológicos.

(48) 3437 5543

Marque sua consulta!

Entre em contato para maiores informações e consultas.